Marcadores Laboratoriais e Exercício Físico na Doença Cardiovascular

Área: Hospitalar

CARLOS ALEXANDRE ORTIZ RAIFONE FERNANDES

Renata Savian Colvero de Oliveira

As doenças do aparelho circulatório no Brasil representam a primeira causa de morte, indicando assim sua importância enquanto problema de saúde da população. Podem ser detectados antes que sejam irreversíveis, por meio de exames laboratoriais, chamados de marcadores cardíacos, os quais têm por finalidade apontar substâncias, como, troponina, (CK-MB) enzima creatina quinase, (PCR) proteína C-Reativa, mioglobina e homocisteina. Esses marcadores relacionados a fatores de risco (sedentarismo, tabagismo, consumo exagerado bebida alcoólica, estresse, obesidade, diabete e histórico familiar) podem gerar algumas doenças, dentre elas as cardiovasculares. Sob o enfoque de promoção da saúde, inclui-se a Atividade Física como meio de prevenir e restaurar doenças cardíacas. O presente trabalho tem por objetivo analisar os principais marcadores de lesão cardiovascular, relacionando-os com os diversos fatores de risco e também, legitimar os efeitos benéficos que a atividade física proporciona frente a algumas comorbidades (obesidade, especialmente na resistência à insulina, hiperglicemia e dislipidemias). O trabalho desenvolvido seguiu os preceitos do estudo exploratório, por meio de uma pesquisa bibliográfica de artigos, livros e sites. Concluiu-se que os indivíduos com sobrepeso, obesos e a população em geral, devem atingir gradualmente um mínimo de 150 minutos de atividade física de intensidade moderada por semana, a fim de melhorar o perfil lipídico a longo prazo, reduzir a pressão arterial, diminuindo o risco de infartos, além de outros inúmeros benefícios.