Questionário para avaliação de conhecimento retido em treinamento de Suporte Básico de Vida do Adulto para leigos e profissionais da saúde

Área: Pré-Hospitalar

LUISA GRAVE GROSS

Caroline Brandelli Mortari
Guilherme Pozueco Zaffari
Luiz Antônio Iorra Demaman Pinto
Guilherme Pinheiro Machado
Taís Sica da Rocha

INTRODUÇÃO: O treinamento em Suporte Básico de Vida (SBV) é uma etapa imprescindível para o atendimento às vítimas de parada cardiorrespiratória (PCR), que apresentam taxas de sobrevivência significativamente maiores quando as manobras de ressuscitação cardiopulmonar (RCP) são realizadas de maneira imediata. Por conseguinte, a avaliação sobre a qualidade dos treinamentos em SBV é de suma importância para que este seja aplicado de maneira correta em situações reais. O objetivo deste trabalho foi fazer uma revisão da literatura já disponível acerca do assunto, a fim de elaborar um instrumento capaz de avaliar o conhecimento adquirido nos treinamentos de SBV. METODOLOGIA: Foi realizada uma busca de artigos na base de dados do Pubmed com as seguintes palavras-chave: knowledge e basic life support. Foram encontrados 1152 artigos e permaneceram na revisão final 10 artigos que possuíam questionário descritivo sobre o assunto. Os temas abordados abrangem o conteúdo do capítulo “Adult Basic Life Support” dos Guidelines de 2015 da “American Heart Association”. RESULTADOS: Não foi encontrado questionário padronizado para a avaliação do conhecimento retido nas instruções de SBV. Em virtude disso, elaboramos um instrumento para esse fim. O questionário elaborado aborda a experiência prévia em SBV, teórico-prática, bem como avalia o grau de confiança do participante em atender a uma vítima de PCR. Além disso, é composto por 10 questões objetivas, com 4 alternativas cada que englobam: abordagem de uma possível vítima de PCR; reconhecimento de uma PCR; sequência correta das manobras; relação entre o número de compressões e ventilações; técnica e frequência de compressão; técnica de ventilação; e utilização do desfibrilador externo automático. CONCLUSÃO: O uso de instrumentos de avaliação do conhecimento sobre SBV pode auxiliar na melhoria da qualidade dos treinamentos, bem como orientar a periodicidade com que eles devem ser recomendados à população. A literatura disponível atualmente sobre tais instrumentos ainda é escassa, e não há um questionário padronizado para este fim. Frente a isso, foi elaborado um questionário pelo Núcleo de Treinamento em Reanimação Cardiorrespiratória do Hospital de Clínicas de Porto Alegre para avaliar o conhecimento adquirido pelos participantes dos treinamentos de SBV promovidos por este grupo. Há necessidade de mais estudos sobre o assunto para que estas avaliações possam ser padronizadas e aplicadas a diferentes populações.