ATUAL CENÁRIO DO SERVIÇO DE EMERGÊNCIA PEDIÁTRICA NO BRASIL

Área: Pediatria

LUAN SOLEI FLORES CANTEIRO

Jessica de Oliveira Gomes Silva
Luana Solei Flores Canteiro
Italo Lacerda Silva
Rodayne Khouri Nascimento

Introdução: Os serviços de emergência são um importante componente da assistência à saúde no Brasil e apresentam uma demanda para atendimento maior que a capacidade de absorção. A superlotação é o retrato do desequilíbrio entre a oferta e a procura por atendimento em serviços de emergência, sendo agravada por problemas organizacionais como o atendimento por ordem de chegada, sem estabelecimento de critérios clínicos ou mesmo atendimentos que poderiam ter resolutividade na atenção básica de saúde. Objetivo: Analisar a produção científica quanto o atual cenário organizacional dos serviços de emergência pediátrica no Brasil. Metodologia: Estudo de revisão de literatura do tipo narrativa com a utilização de artigos científicos publicados em língua portuguesa referente ao período de 2009 a 2015, por meio de acesso eletrônico a biblioteca virtual de saúde (BVS) ,após a busca dos descritores em ciências da saúde (DeCs) para a seleção dos unitermos: Emergência, atendimento ambulatorial e Pediatria. Resultados- Discussão: Identificou-se que muitas crianças que poderiam ser atendidas nas redes básicas, são atendidas nos serviços de emergência. Um segundo ponto identificado foi que ainda existe subjetividade em selecionar e classificar os pacientes pediátricos quanto aos riscos para receberem ou não prioridade no atendimento, fato este que contribui para um maior risco de vida. Um estudo realizado no Hospital de Clínicas da Universidade Estadual de Campinas foi verificado que o Serviço de Emergência Pediátrica (SEP) foi utilizada para atendimento de 1% de todas as crianças assistidas no SEP; tal porcentagem foi semelhante à encontrada em recente estudo britânico, no qual, dentre 21.027 crianças atendidas no serviço de emergência, somente 0,7% necessitaram de Serviço de Emergência Pediátrica. Causas socioeconômicas são as mais citadas para este fenômeno.Conclusão: Evidencia-se que os serviços de emergência pediátrica no Brasil ainda possuem falhas e não estão completamente articulados com o sistema de atenção básica, pois muitos casos que poderiam ter resolutividade na atenção básica acabam chegando até os serviços mais especializados como as emergências.Há necessidade de investimento na resolutividade dos serviços de atenção básica, necessidade de investimentos na formação permanente de profissionais.