Ingestão de Corpo Estranho em Criança: Relato de Caso

Área: Pediatria

ELISANDRA CRISTINA DE SOUZA BARBOZA

Maria Teresa Queirós do Nascimento
Aline Mércia nunes Teixeira
Thayse Mota Alves
Markinokoff Lima e Silva Filho
Yanne Linhares Braga

Introdução: Dentre os atendimentos nas emergências pediátricas, a presença de corpo estranho (CE) no trato gastrointestinal (TGI) ocorre com frequência, principalmente em crianças dos 6 meses aos 6 anos de idade, fato esse decorrente da fase oral e curiosidade característica dessa fase. Normalmente, o CE desloca-se pelo TGI sem maiores complicações, no entanto deve ser observado quanto à localização e o tipo, para o direcionamento da conduta adequada, exames complementares, como no caso da radiografia, ajudam na visualização, visto que a maioria dos objetos ingeridos são radiopacos. Objetiva-se nesse trabalho explanar o caso de CE em uma criança. Método: O presente estudo trata-se de um relato de caso identificado no Hospital da Restauração Governador Paulo Guerra, Recife - PE, pertencente ao SUS e referência em atendimentos de Emergência Pediátrica, as informações foram analisadas a partir do prontuário. Resultados: O caso retrata uma criança de oito anos com história de ter ingerido um clips metálico, negando outras queixas. Ao exame físico apresenta estado geral bom, ativo, eupnéico, corado, hidratado, murmúrios vesiculares presentes, abdômen depressível e indolor. Após detectar a presença do CE no estômago, por meio da radiografia simples, foi indicada a retirada por via endoscópica, método de escolha por apresentar baixa incidência de intercorrências, no qual ocorreu com o auxílio da pinça dente de rato e sem alterações, recebendo alta hospitalar, horas após a realização da endoscopia. Devido à frequência dessas ocorrências, os profissionais da emergência devem estar atentos em observar a sintomatologia e as suas possíveis complicações. Conclusão: Considerando a população pediátrica, os pais devem ficar em alerta quanto aos objetos que as crianças manuseiam e o risco de serem ingeridos, diminuindo, assim, a probabilidade de ocorrer acidentes.