O controle do ambiente de trabalho dos enfermeiros no serviço de emergência

Área: Enfermagem

SHARA BIANCA DE PIN

José Luís Guedes dos Santos
Fernando Henrique Antunes Menegon
Alacoque Lorenzini Erdmann

Introdução: A unidade de emergência possui uma grande demanda devido à complexidade do serviço, e os enfermeiros que atuam nesta unidade são responsáveis por inúmeras atividades, sendo elas gerenciais ou assistenciais. As particularidades do serviço em emergência influenciam diretamente na assistência e na qualidade do cuidado realizado. O objetivo deste estudo foi analisar o controle dos enfermeiros sobre o ambiente de trabalho em um serviço hospitalar de emergência. Método: Estudo qualitativo, de natureza exploratória-descritiva, com nove enfermeiros de um serviço de emergência da região Sul do Brasil. Os dados foram coletados por meio de entrevistas e analisados com base na análise de conteúdo temática. A pesquisa foi aprovada pelo Comitê de Ética de referência e seguiu as recomendações éticas para pesquisa com seres humanos no Brasil. Resultados: No processo de trabalho do serviço de emergência, evidenciou-se que o controle sobre o ambiente se mostra desfavorável na prática profissional dos enfermeiros. Se destacam questões como a falta de espaço físico, de leitos e macas, que dificultam o processo de trabalho e a organização do serviço. Os enfermeiros também pontuaram a dificuldade de estarem atentos as diferentes demandas do serviço, visto que a falta de profissionais e o grande números de atestados acabam resultando na sobrecarga de trabalho no serviço hospital de emergência. Conclusões: O controle do ambiente de trabalho dos enfermeiros no serviço de emergência se mostra desfavorável, destacando a sobrecarga de trabalho, a falta de profissionais e o grande número de atestados. O estudo reforça a importância de ampliar a discussão sobre o controle dos enfermeiros no ambiente de trabalho.