A INSERÇÃO DO ENFERMEIRO RESIDENTE EM UM HOSPITAL DE GRANDE PORTE: UM RELATO DE EXPERIENCIA.

Área: Enfermagem

THAYSE MOTA ALVES

Aline Mercia Nunes Teixeira
Elisandra Cristina de Souza Barbosa
Maria Teresa Queiros do Nascimento
Josivan Soares Alves Junior
Eduarda Gayoso Meira Suassuna de Medeiros

INTRODUÇÃO: Iniciando em 1961 na cidade de São Paulo a Residência em Enfermagem é caracterizada como uma modalidade de pós-graduação lato sensu reservada a enfermeiros, que atrela competências de ensino, pesquisa e extensão a atividades assistenciais nos serviços em regime de dedicação exclusiva sob orientação e supervisão de profissionais capacitados. A Residência fornece uma grande oportunidade de aperfeiçoamento técnico-científico, incentiva à prática de enfermagem com autonomia e reconhecimento de seus aspectos científicos, éticos e sociais, favorecendo a inserção de um profissional mais qualificado no mercado de trabalho. OBJETIVOS: Descrever a experiência da inserção do residente de enfermagem em um hospital de grande porte e sua percepção na atuação hospitalar. METODOLOGIA: Trata-se de estudo descritivo do tipo relato de experiência, realizado durante a vivência do residente em um Hospital de Grande Porte de caráter publico em Recife-PE, de Março a Junho de 2016. RESULTADOS: Por tratar-se de uma unidade altamente complexa, a presença do residente no contato contínuo com o campo prático, enfrentando diversas realidades positivas e negativas, proporciona o desenvolvimento de habilidades assistenciais e gerenciais que estimulam um raciocínio técnico-científico. As atividades executadas pelo residente estão relacionadas à metodologia da assistência, atenção direta ao paciente em casos de procedimentos comple¬xos e a ajuda às ações de enfermagem na unidade, desenvolvendo paralelamente as modalidades de ensino, pesquisa e extensão, através de aulas teóricas/praticas, realização de discussões de casos clínicos, seminários, clubes de procedimento e clubes de revista. As principais barreiras encontradas foram o desconhecimento da equipe do papel do residente no setor, a inexperiência prática, pouco contato com os profissionais do setor e a situação ambígua imposta pelo cotidiano onde você é enfermeira, mas também é uma aluna, posto que esteja em processo de forma¬ção especializada e necessita da supervisão de outro profissional. CONCLUSÕES: As oportunidades vivenciadas permitem ao residente um crescimento de suma importância para a sua construção profissional, através do aprimoramento de habilidades técnicas e estimulo do raciocínio critico considerando os aspectos científicos, éticos e sociais. Trazendo repercussões para a educação em enfermagem e para a sociedade que receberá profissionais qualificados e diferenciados.