PERFIL CLÍNICO-EPIDEMIOLÓGICO DE PACIENTES INTERNADOS POR FEBRE HEMORRÁGICA DA DENGUE NO RIO GRANDE DO SUL ENTRE 2009-2016

Área: Hospitalar

PATRÍCIA NOLASCO DA SILVA

Keila Raiany Pereira Silva
Lincoln Valério Andrade Rodrigues
Edrei Maia Soares
Dâmaris Versiani Caldeira Gonçalves

Introdução: A dengue é a doença mais importante dentre as viroses transmitidas por vetores em seres humanos. As manifestações clínicas vão desde quadros assintomáticos a febre hemorrágica da dengue (FHD). De acordo com o Sistema de Vigilância Epidemiológica, foram notificados em 2015, 1.569 casos de FHD, entre esses casos, observaram-se 661 óbitos. Trata-se de um grave problema de saúde pública mundial, sendo uma importante causa de morbimortalidade adulto/pediátrica. Deste modo, em virtude da relevância do assunto, este estudo tem como objetivo caracterizar o perfil de pacientes com FHD internados via Sistema Único de Saúde (SUS) em hospitais do Rio Grande do Sul (RS) entre 2009 a 2016. Metodologia: Estudo primário caracterizado por uma pesquisa causal, quantitativa, descritiva, transversal de censo, realizada através da coleta de dados do DATASUS - Departamento de Informática do SUS- Sistema de Informações Hospitalares do SUS - SIH/SUS. Para a obtenção dos resultados foram levantados e, posteriormente, analisados o número e perfil de internações, via DATASUS, de pacientes acometidos por FHD no período de 2009 a abril/2016, em hospitais localizado no RS. Resultados: Foram identificados 105 pacientes hospitalizados com diagnóstico de FHD, sendo que 1 internação ocorreu no ano de 2009, 73 em 2010, 10 em 2011, 2 em 2012, 3 em 2013, 1 em 2014, 9 em 2015 e 6 até abril/2016, sendo 50 (47,62%) do sexo feminino e 55 (52,38%) do sexo masculino. Foi observada fraca correlação positiva entre o tempo de internação e idade. Considerando o número e as principais causas de mortalidade dos pacientes, vítimas de FHD, internados no período pesquisado, destaca-se um total de 1 óbito (0.95%). Entre as principais causas mortis estão o comprometimento multissistêmico e sangramento intenso. A pesquisa apontou um valor médio de internação por paciente no período pesquisado, de R$ 669,59 com média de 4,6 dias de hospitalização. Considerando a ocorrência da FHD relacionada a estação do ano, o estudo evidenciou 6 casos na primavera (5,71%), 19 casos no verão (18,09%), 77 casos no outono (73,33%) e 3 casos no inverno (2,85%). Conclusões: Ao comparar o presente estudo, com a literatura, observou- se maior incidência de FHD em 2010. Ressalta-se a importância do desenvolvimento de programas de orientação voltados ao controle efetivo dos fatores modificáveis a fim de prevenir este evento e consequentemente reduzir o número de internações e morbimortalidade adulto/pediátrica por FHD.