O USO DA EPIDEMIOLOGIA NO PLANEJAMENTO DAS AÇÕES EM SAÚDE: DESENVOLVIMENTO DE UM PLANO DE AÇÃO MULTIPROFISSIONAL NO ATENDIMENTO HOSPITALAR AS EMERGÊNC

Área: Hospitalar

RITA PATRICIA MACHADO DE OLIVEIRA

ADNA VASCONCELOS FONTELES
ANTONIA RAFAELLA FERREIRA GOMES MARTINS
ANTONIA SMARA RODRIGUES SILVA
EMANUELLA MACEDO SILVA
NADIELE SOUZA DO NASCIMENTO

INTRODUÇÃO: A epidemiologia caracteriza-se como o ramo da ciência da saúde que estuda na população a ocorrência, a distribuição e os fatores determinantes dos eventos relacionados com a saúde, tendo como objetivo descrever as condições de saúde, investigar os fatores determinantes e avaliar o impacto das ações para alterar a situação de saúde. Objetivou-se então com este trabalho relatar o desenvolvimento prático de um plano de ação baseado no estudo epidemiológico em um setor de emergência. MÉTODO: Trata-se de um estudo descritivo com abordagem qualitativa. O estudo ocorreu no setor de emergência em um hospital de referência da zona norte do Ceará, sendo desenvolvido a partir do módulo de Epidemiologia em Saúde do Programa de Residência Multiprofissional em Urgência e Emergência. Inicialmente foi feito o levantamento do perfil epidemiológico dos atendimentos que acontecem no setor, bem como a análise das taxas de internação, ocupação, permanência e mortalidade durante o período de março e abril de 2016. Os dados foram fornecidos através dos relatórios do Sistema de Tecnologia da Informação do hospital. Para o desenvolvimento do plano de ação foi realizado a avaliação e levantamento das necessidades, análise situacional, proposto ações multiprofissionais, revisões e desenvolvimento de parcerias intersetorial. RESULTADOS: Após a análise dos indicadores foi elaborado um plano de ação, sendo estas, subdivididas em vigilância dos processos assistenciais, hemovigilância, tecnovigilância e farmacovigilância. A aplicabilidade do plano de ação caracterizou-se pela corresponsabilização da equipe de residência multiprofissional e dos profissionais de saúde que atuam no setor. Através do plano foi possível identificar, analisar e prevenir os riscos aos pacientes, familiares e profissionais envolvidos no processo da assistência bem como reformular as ações de Educação em Saúde voltadas para a promoção da cultura de segurança do paciente no setor de emergência. Possibilitou também a implantação da sala de situação apresentando os indicadores de maior relevância para o setor. CONCLUSÕES: O reconhecimento da importância dos dados epidemiológicos e do planejamento no gerenciamento das ações em saúde, sugerem uma necessidade de maior busca por informações sobre as situações em saúde para embasar a cada dia mais suas ações. Considera-se importantes os esforços para o reconhecimento situacional e planejamento de ações voltados para a melhoria destes serviços.