PREVALENCIA DE MEDICAMENTOS UTILIZADOS EM ATENDIMENTO PRÉ HOSPILAR NA CIDADE DE SOBRAL, CEARÁ.

Área: Pré-Hospitalar

ADNA VASCONCELOS FONTELES

ADNA VASONCELOS FONTELES
Rita Patrícia Machado de Oliveira
Antonia Rafaella Ferreira Gomes Martins
Antonia Smara Rodrigues Silva
Emanuella Macêdo Silva
Nadiele Souza do Nascimento

INTRODUÇÃO: A Política Nacional de Atendimento as Urgências e Emergências conceitua como assistência na área de urgência, o atendimento que busca atender precocemente à vítima, após ter ocorrido um agravo à sua saúde, que seja capaz de provocar sofrimento, sequelas ou mesmo à morte, sendo necessário prestar-lhe atendimentoe/ou transporte adequado. Sendo assim necessário o uso de medicamentos a fim de melhor e/ou estabilizar o quadro geral do usuário até a chegada ao pronto socorro. A portaria regula que nas unidades de suporte avançado devem conter todos os itens da lista de medicamentos padronizados, em suas devidas quantidades pré-estabelecidas. A lista possui anestésicos e adjuvantes, analgésicos, antipiréticos, antiinflamatórios, antialérgicos e medicamentos usados em anafilaxia, antídotos usados em intoxicações exógenas, anticonvulsivantes, antipsicóticos, ansiolíticos e hipno-sedativos, antiarrítmicos, cardiopatia isquêmica, diuréticos, anti-hipertensivos, vasodilatador direto, antiagregante plaquetário e antiasmáticos. METODOS: Pesquisa descritiva exploratória, retrospectiva com abordagem quantitativa realizado no Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) na cidade de Sobral, interior do ceara, que cobre uma área de 2.122,897, atende uma população de 201.756 habitantes. Os dados foram obtidos por meio de levantamento das fichas diárias de reposição de material no ano de 2015, posteriormente analisadas em planilha no Microsoft Office Excel Versão 2010. Foi realizada analise estatística com apresentação das frequências simples e percentual. RESULTADOS: Durante o ano de janeiro de 2015 a dezembro de 2015 foram utilizados 727 unidades de medicamentos. O mais prevalente foi a Adrenalina com 27%, seguindo da Glicose 50 % com 14,7%, Midazolam com 12,5%, Prometazina com 4,53%, Haloperidol com 4,26%, Captopril com 4,12%, Diazepam com 3,8% , AAS com 3,3% e Dipirona com 2,8%, dentre o leque de 30 tipos de fármacos utilizados no serviço. Os medicamentos mais prevalentes se mostraram que foram utilizados durante todos os meses do ano, embora a média da quantidade variasse de mês a mês. CONCLUSÃO: Os resultados nos mostra que ocorre uma relação com o perfil de atendimento do SAMU, onde predomina- se atendimentos a usuários psiquiátricos, hipertensos e diabéticos, AVE, paradas cardiorrespiratórias e traumas. Além de ser um importante dado para a gestão e profissionais do serviço.