Efeito do dimetil fumarato contra a neuroinflamação e estresse oxidativo cerebral em ratos submetidos a sepse

Área: Hospitalar

ALOIR NERI DE OLIVEIRA JÚNIOR

Graciela Freitas Zarbato
Lucineia Gainski Danielski
Mariana Pereira Goldim
Drielly Florentino
Fabricia Petronilho

Introdução: O fator nuclear-kappa B (NF-kB) desempenha um papel fundamental na regulação da resposta imune na sepse. Sabendo do malefício desse papel no organismo, o objetivo do trabalho é avaliar o efeito do inibidor do NF-kB, dimetil fumarato (DMF) sobre o os níveis cerebrais de mediadores inflamatórios e de dano oxidativo em 24 horas após indução de sepse por modelo de ligação e perfuração cecal (CLP). Métodos: Ratos Wistar machos (250-350g) foram submetidos ao modelo CLP, com animais sham como controle. Os grupos foram divididos em sham+veiculo; sham+NAC; sham+DMF; CLP+veiculo; CLP+NAC e CLP+DMF, n=6 por grupo. Os animais foram tratados com DMF na dose de (15 mg/kg dissolvido em 0.08% de dimetilsulfoxido em 0h e 12h após CLP por gavagem) e administração de n-acetilcisteína (NAC) (20mg/kg, 3,6 e 12h após CLP sc) como controle. Em um tempo de 24h após CLP, sobre as amostras de córtex, córtex pre-frontal e hipocampo foram realizadas análises de IL-6, CINC-1, mieloperoxidase (MPO) como indicativo de infiltrado de neutrófilos, nitrito/nitrato como indicativo de oxido nítrico e dano oxidativo em lipídios e proteínas. Dados analisados por ANOVA e post hoc Tukey com p<0.05. Resultados: Para os níveis de citocinas, verificamos a diminuição dos níveis de IL-6 somente no hipocampo quando administrado DMF enquanto que para CINC-1 observamos essa diminuição no hipocampo e córtex. Para MPO, observamos que com a administração de DMF obtivemos uma diminuição nos níveis em todas as estruturas cerebrais estudadas com resultados similares ao antioxidante clássico NAC comparado aos animais que não receberam tratamento e foram submetidos a CLP. Em relação aos níveis de nitrito/nitrato, houve uma diminuição com administração de DMF no hipocampo comparado ao grupo sem tratamento, o que não ocorreu com o grupo tratado com NAC. Para o córtex pre-frontal os tratamentos não foram efetivos enquanto que para o córtex, os níveis de nitrito/nitrato diminuíram com os dois tratamentos em relação ao grupo CLP não tratado. Quando avaliamos os níveis de dano oxidativo em lipídios e proteínas, encontramos uma diminuição dos níveis de dano com tratamento com DMF em ratos CLP no hipocampo e córtex no entanto não verificamos proteção com DMF no córtex pre-frontal. Conclusão: O aumento causado pela ativação de NF-kB sobre níveis de mediadores inflamatórios e de dano oxidativo no cérebro de ratos submetidos a sepse puderam ser atenuados através da administração de DMF.