Conhecimento de Profissionais da Área da Saúde sobre o Atendimento de Pacientes Irradiados com Césio-137

Área: Hospitalar

GABRIELA PETITOT REZENDE

Silvana Teixeira Dal Ponte
Bonnie Arquilla
Christina Bloem
Pauline Simas Machado
Guilherme Zaffari

Introdução: Acidentes com materiais radioativos, quando ocorrem, têm um impacto muito significativo devido à capacidade de dispersão da radiação emitida por certos elementos químicos. Um dos maiores acidentes com o isótopo Césio-137 ocorreu na cidade de Goiânia, fazendo centenas de vítimas. Entende-se que qualquer profissional da saúde que trabalhe em Emergência deve ter conhecimento sobre como atender um paciente previamente irradiado. Este estudo objetiva avaliar o conhecimento de profissionais da saúde quanto à prioridade de tratamento em pacientes graves expostos ao césio- 137. Metodologia: Estudo transversal, multicêntrico. O trabalho foi realizado em quatro hospitais-escolas, sendo eles o Hospital de Clínicas de Porto Alegre, o Kings County Hospital, o Suny Downstate Medical Center (ambos em Nova Iorque), e no Northwestern Memorial Hospital (Chicago). Um questionário foi aplicado em médicos, residentes, estudantes de medicina, enfermeiros, auxiliares e técnicos de enfermagem. O questionário baseia-se no cenário fictício, no qual um paciente chega à emergência em choque contaminado por césio-137. Pergunta-se o que deve ser realizado primeiro entre as alternativas “tratamento”, “descontaminação” ou “não sei”. Os resultados foram analisados através do programa estatístico WINPEPI. A comparação entre as respostas de cada hospital foi realizada através do Teste Exato de Fisher. Considerou-se a significância de p<0,05. Resultados: Cento e setenta profissionais da área da saúde responderam ao questionário. Apenas 29,41% das respostas foi “tratamento” (46,42% entre os médicos emergencistas, 38,46% entre os pediatras, 20,93% entre os médicos residentes, 18,51%, entre enfermeiros, 27,58% entre técnicos e auxiliares de enfermagem, 33,33% entre estudantes de medicina). Houve diferença significativa entre o total de respostas corretas (“tratamento”), dos grupos de profissionais da saúde dos hospitais. Entre cada grupo de profissionais da saúde dos hospitais do estudo, o único que apresentou diferença significativa foi o de Médicos Residentes quanto à resposta “tratamento”. Conclusão: Os resultados deste estudo mostraram que os profissionais da área da saúde de três diferentes Hospitais Escolas não estão seguros quanto ao atendimento de pacientes irradiados. Estes profissionais, principalmente os que atuam nos setores de Emergência, devem receber treinamento sobre como deve ser a abordagem destes pacientes, pois a incerteza pode gerar atrasos no tratamento.